30611
Saltar para conteúdo

Publicação de Recursos

Família Paralímpica reunida em Rio Maior

24 Fevereiro 2019



Compartilhar
Tweet


Um dia de reflexão, troca de ideias e partilha de experiências pautado pelo rigor e boa-disposição teve um balanço muito positivo bem no seio de todos os agentes desportivos que marcaram presença na Escola Superior de Educação de Rio Maior neste dia 23 de fevereiro. Atletas, treinadores, parceiros de competição, técnicos assistentes desportivos e representantes federativos deram cor ao evento promovido pelo Comité que foi marcado pela divulgação do Chefe de Missão a Tóquio 2020.

Leila Marques Mota foi a designada pela Comissão Executiva do CPP para o cargo e “honrada” pela distinção declarou sem hesitações o objetivo primordial desta Chefia de Missão: “prestar aos atletas as melhores condições possíveis para competirem ao mais alto nível nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020”. A antiga nadadora paralímpica que tem no currículo a participação em quatro edições de Jogos Paralímpicos entre 1996 e 2008 realçou que agora é tempo de preparar objetivamente a missão e tratar de todos os pormenores, sejam eles a logística, a comunicação, o clima ou os estágios de forma a atribuir a “confiança e estabilidade” a uma competição que será “extremamente competitiva”.

Para Leila Marques Mota, todos terão a sua quota-parte de importância nesta Missão a terras nipónicas. “Responsabilidade para a Chefia de Missão mas também para os atletas: especialmente para eles, é este o peso da grandeza de fazerem parte de elite. Todos temos que cumprir com as nossas obrigações perante a responsabilidade de assumirmos as cores nacionais, representando-as dignamente e no limite das nossas capacidades também por todos aqueles que nunca terão essa oportunidade”, referiu Leila Marque Mota, que terá como braço direito Luís Figueiredo, também vice-presidente do CPP designado como Diretor Executivo da Missão.

 

Os votos de sucesso

O Secretário de Estado da Juventude e do Desporto foi uma das presenças institucionais mais notadas na cerimónia de abertura. Acompanhado pelo Presidente do Comité Paralímpico de Portugal, José Manuel Lourenço, da Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, Isaura Morais, pelo Ministro Conselheiro da Embaixada do Japão, Takagawa Sadayoshi, e pelo Diretor da Escola, Luís Cid, João Paulo Rebelo não deixou de transmitir uma mensagem de apreço para com toda a família paralímpica e, referindo-se em específico aos atletas, garantiu não ter dúvidas que “cada atleta saberá responder à aposta do Governo no desporto paralímpico dando o seu melhor em cada prova”. “Desejo-vos maiores sucessos desportivos e pessoais” para o caminho que falta percorrer até Tóquio 2020, fez questão de realçar o Secretário de Estado, exprimindo o sentimento de todo o movimento paralímpico.

O dia em Rio Maior foi longo e produtivo. Existiram painéis de discussão de atletas e treinadores onde cada um dos elementos pôde expressar as suas preocupações, problemas e dificuldades. Todos foram ouvidos e já na parte da tarde tiveram a oportunidade de beber algumas informações relevantes com um painel sobre a cultura japonesa e outro de media training com algumas noções básicas sobre o contacto com a comunicação social. No final do dia foram apresentadas as conclusões, com a promessa de elaboração de um documento sintetizador de todos os painéis de reflexão realizados

 

A satisfação dos atletas

Foram inúmeros os sorrisos dos atletas captados durante este memorável dia. Com oito modalidades representadas por mais de 30 atletas, os momentos de confraternização não faltaram mesmo entre aqueles que ainda não se conheciam. Oportunidade para solidificar as bases que pretendem fortes de uma família paralímpica que daqui a cerca de 500 dias estará em Tóquio na luta por medalhas naquela que será a 11.ª participação portuguesa em Jogos Paralímpicos.

Telmo Pinão já teve a felicidade de vivenciar esta experiência pela participação dos Jogos Paralímpicos do Rio 2016 e com a mira apontada às batalhas que se seguem não esconde a satisfação de participar num evento tão rico para os atletas. Para Telmo Pinão, “perceber as dificuldades das pessoas” é fundamental para que os resultados possam aparecer com cada vez mais qualidade, daí que este “intercâmbio de experiências” desempenhe um papel tão importante.

“Conhecer um bocadinho a terra que vamos pisar foi extraordinário, perceber que o grau de humidade vai ser extremo é fundamental para nós que corremos na rua na estrada. Toda essa informação foi positiva e levamos já daqui algum conhecimento daquilo que podemos encontrar para o ano no Japão”, defendeu Telmo Pinão.

Tóquio é o destino tão ambicionado por todos os atletas que figuram no Programa de Preparação Paralímpica, mas nem todos conseguirão lá chegar. Os dados estão lançados, a Chefe de Missão definida e as quotas de qualificação abertas na maioria das modalidades. Agora resta treinar a cada dia por um sonho a cumprir do outro lado do mundo que está cada vez mais perto.

Fotografias do evento aqui. 



Voltar
Facebook Paralimpicos Instagram Twitter Youtube